Publicado por: miwi | abril 12, 2008

Pensamentos soltos num sábado à tarde

Por que eu raramente vejo discussões sobre gamedesign em português?

Sério. Os maiores fóruns de desenvolvimento de jogos que eu conheço (e que você também conhece, então, vou me poupar o trabalho de ir buscar os links), tem suas seções de programação (uma para cada linguagem! As seções de C e C++ costumam ser as mais lotadas.) repletas de tópicos e posts, enquanto que a seção de gamedesign fica às moscas.

As pessoas sentem mais necessidade de saber como mover um ponto dentro de um triângulo usando o algoritmo do que de discutir sobre o que faz um bom jogo.

Por quê?

Não há interesse em falar sobre isso? Todo mundo já sabe como fazer um bom jogo? Mesmo em blogs, os poucos blogs de desenvolvimento que eu leio, salvo um post ou outro, não falam muito em gamedesign. E algumas pessoas que eu conheço e converso de vez em quando tem bagagem para caramba para falar de gamedesign, já percebi que sabem para caramba só de ver alguns comentários ali, mas dificilmente as vejo conversar a respeito disso abrindo tópicos ou postando em seus blogs.

E por que tanta vontade de fazer as coisas no braço? Por que tanta insistência em fazer jogos 3D se fazer um BOM jogo 3D é 10x mais difícil do que fazer um BOM jogo em 2D? O que já não é fácil, diga-se de passagem. Eu entendo que algumas pessoas tenham interesse em serem modeladoras, então a escolha por fazer um jogo 3D parece óbvia. Mas… todo mundo cai nessa categoria? Meu deus, então como ainda pode faltar modeladores no nosso mercado?

Será que eu sou a única que tem calafrios com a aparência “genérica” da maioria dos jogos (nacionais ou não, já vi cada coisa em foruns estrangeiros) feitos em 3D sem um orçamento razoável? Claro, existem jogos 3D com uma aparência bastante característica, como De Blob (preguiça de buscar o link, vá. É sábado. O Google está logo ali na aba ao lado…), mas é mais uma exceção do que uma regra.

Prefiro 1.000 vezes um jogo BONITO em 2D do que um jogo 3D de aparência genérica. Mas, a considerar pelo que eu vejo por aí, devo ser a exceção das exceções.

Se a intenção de todas essas pessoas é trabalhar com isso, programando, por que não se dedicar mais a Flash e Java Mobile, que são as ferramentas/linguagens mais utilizadas no nosso mercado?

Sei lá, eu me sinto meio alien até mesmo em comunidades que eu deveria estar perfeitamente integrada, que são as comunidades de desenvolvimento de jogos.

Minha conta na Unidev tem uns 3 posts, acho.

Devo ser uma alien mesmo… devo ser uma das poucas pessoas brasileiras que se interessam pelo assunto e não quer trabalhar com isso.

Aliás, eu sou uma garota que curte programação, gamedesign, passa horas lendo a respeito de jogos e não tem a mínima intenção de trabalhar com isso, só de eventualmente fazer alguns joguinhos que ELA goste.

Sem mencionar que eu sou brasileira e estudo engenharia nas horas vagas. E estou finalmente aprendendo a mexer com desenho vetorial ;D

É oficial, eu sou um alien, admito.
EDIT: E para ver mais comentários aliens super legais, veja os comentários ;D Vini e Bocão, thanks for the insight! xD ;*

Anúncios

Responses

  1. Minha opinião é que ninguém fala em game design por que eles tiveram um grande idéia e agora é só fazer. Daí não discutem como e o que vão fazer, só procuram sobre algoritmos de colisão e como modelar um “humano” no Blender. O pensamento comum é de que é muito dífícil programar e modelar, e é isso que se aprende. O resto vem fácil.
    Apesar de que eu já vi gente dizendo que é bem fácil fazer jogo. Daí, eu pedi pro cara só fazer um Tetris (mesmo sabendo que ele não ia fazer) e ele responde : “O que tem de mais num Tetris. É mais fácil ainda. E só encaixar as peças”. Minha resposta foi ficar de boca aberta e não falar mais nada. Não que Tetris seja um jogo “oh-meu-deus-como-vou-fazer-isso” mas, ele já teria umas dores de cabeça em algo que já está pronto e consumado. Algo que seria só “copiar”.
    Ninguém comenta sobre o assunto porque não tem a menor noção de como funciona o mercado e as profissões envolvidas. Ficam procurando por algoritmos de como fazer algo mas, não entendem nada e nem tem lógica bem desenvolvida para criar algo. Mesma coisa pra modelagem, só sabem reproduzir os tutoriais. Copy and paste.

  2. Mau blog é feito por um programador, para programadores.

    Entretanto, achei muito relevante colocar uma introdução sobre os tipos de jogos e as motivações do usuário nos primeiros posts (que foram mais de 10). A maior parte daqueles conceitos estudei em aulas e livros de Game Design.

    Mais para frente, estou pensando em colocar citações sutis como “aqui você deve prestar atenção nas especificações do seu game designer”. Ou, “isso estará documentado no game design document”, para que o programador se ligue de que ele não está sozinho e consiga, pelo menos, entender a influência que o game designer tem sobre o trabalho dele.

    Outra coisa que também noto é que as pessoas resumem o game design ao simples fato de contar a história geral do jogo e, no máximo, descrever os personagens. Ah sim, as vezes desenham o mapinha de um ou outro nível também (e chamam isso de level design). Não que essas tarefas não existem. Existem e efetivamente fazem parte do game design. Mas ninguém chega a comentar (coisa que vc tem feito muito bem no seu blog) sobre como quer que a experiência do game play seja. Ou que tipo de emoções e percepções quer disparar no jogador. E que mecanismos terão que ser implementados no jogo para que esses objetos de game play se concretizem.

    Acho que uma das razões é a pressa de ver o produto pronto. Ninguém quer parar, estudar game design para valer e elaborar um longo documento. Isso leva tempo. Melhor cair logo no programa, que já gera resultados “divertidos” em pouco tempo… mas com a técnica negligenciada, provavelmente resultados desastrosos também…

  3. É isso que eu gosto no meu blog: ele não tem mais do que uma dúzia de leitores fiéis, mas os que eu tenho valem por muitos xD

    Estou quase indo colocar no post “e olhe os comentários para ver mais alguns pensamentos interessantes a respeito do assunto”… ;p

    Aliás, vou fazer isso xD

  4. Olá Miwi, estava lendo o WiiCult do site WiiBrasil e acabei caindo aqui no teu blog.
    Achei interessante o seu texto, sempre curti desenvolvimento de jogos, achava que é era emprego dos sonhos de toda criança viciada em games rsrsrs.
    Infelizmente não fui para o ramo dos games mas gosto de ler sobre o assunto. Estarei acompanhando seus posts sempre que der, ok?
    Uma boa semana pra ti, espero que não se incomode de ter uma leitora um pouco leiga no assunto.

  5. Opa, claro que não me importo em ter uma leitora “leiga”. 🙂

    Sinta-se a vontade para tirar qualquer duvida ou o que voce nao entender em algum post meu, ok? 🙂

    Fico bem feliz quando alguém mostra algum interesse no meu bloguinho, na realidade xD

  6. “Acho que uma das razões é a pressa de ver o produto pronto.”
    Nada do que for escrito sobre o assunto depois disso importa. Essa é a frase que resume tudo. Concordo, assino embaixo, autentico no cartório, faço uma bela publicidade televisiva e transmito para as massas. 🙂 :O

  7. Oi Miwi, achei teu blog pelo Meio Bit, e achei uns posts bem dahora aqui, parabens.

    E tipo, acho que todo mundo que desenvolve games acaba meio q em contradição, pois todo mundo vive reclamando que os jogos de hoje não são tão bons como antigamente, que é tudo um repeteco sem conteúdo, e o povo só tenta colocar um efeito gráfico melhor. Mas no final acaba que muita gente que quer desenvolver jogo, acaba fazendo o mesmo ( até eu comecei assim ), começa a programar e criar o jogo que quer, em 3D normalmente, e não imagina nada de conteúdo pro game, não planeja nada.

    Apesar de eu também não gostar muito desse negocio de ficar escrevendo e escrevendo, acho que é bem necessário pelo menos organizar tudo que se deseja fazer no jogo, pra depois começar a fazer.

    E também, pra que tanto jogo em 3D, sendo q as vezes os jogos q mais viciam são os mais simples, tipo uns Puzzle, que são possíveis de uma pessoa sozinha conseguir fazer, podem dar bastante conhecimento, pois a pessoa iria desenvolver do incio ao fim, e no final, acaba que ainda pode ser divertido.

  8. “Por que eu raramente vejo discussões sobre gamedesign em português?”

    É uma boa pergunta.

    Acredito que seja porque a maioria desconhece o que significa isso e ainda vá na corrente de que seja necessário apenas modelar e programar.

    Outro fator que pesa sobre isso é a quantidade de textos relacionados a Game Design em português.

    Vamos fazer uma pequena contagem.

    Quantos livros de programação ou de modelagem você vê por aí? Quantos falam sobre Game Design?

    Daí já dá p/ sentir o drama.

    Já vi muitos livros do tipo “Faça seu jogo em 30 segundos”, dando muitos macetes, a maioria ultrapassados, endeusando a modelagem e um “tópico de rodapé” tratando de Game Design.

    P.S.: Senti falta de um previewi. Eu uso esse daqui.

  9. A resposta pra sua pergunta é simples: Preguiça de encarar um conceito e estudá-lo. Estudar o conceito, a metodologia por trás disso é “tedioso” e vc não vê as coisas “acontecendo”…

    Acontece a MESMA coisa aqui na área de web… Todo mundo adora dizer que sabe javascript, php, web2.1beta e qualquer outra coisa assim, mas…

    Quem realmente tem conhece os conceitos mais subjetivos como arquitetura da informação, pra poder aplicar isso direito? Com certeza são poucos, e são esses que se destacam.

    By the way, vc já tentou formentar discussões menos técnicas em fóruns assim, da mesma forma que vc faz no seu blog? Vai que dá certo…

  10. @Sharbel, como você achou meu blog no meio bit? xD De qualquer maneira, tbm gostei do seu blog e o coloquei no meu leitor de feeds! =D

    @DNA, na real, eu tenho vergonha de criar tópicos em fóruns onde eu não conheço as pessoas xD Mas posso tentar

  11. putz, me enganei entaum :S, parece q no CubaGames q fez um comentario do seu blog, ou sei lah ond… hauhaua…

  12. Oi de novo Miwi! Hoje eu estava rodando seu blog e percebi que já tinha comentado um tópico seu no Unidev sobre um point and click, mas nem tinha percebido que era a mesma pessoa rsrs… mas voltando ao assunto… Em geral, o que vejo por aí são entusiastas mesmo, pessoas que amam programação e amam jogos mas não entendem que somente um tipo de conhecimento não é suficiente para criar esse tipo de arte. Uma analogia que gosto é que desenvolvedores de jogos que somente contam com programação estão com o “zap sêco na mão”, como é dito no truco.

    Em todos os artigos, livros e pesquisas que li sobre o desenvolvimento de jogos, é regra que 80% do tempo de desenvolvimento é feito no papel, nada de códigos, funções e modelos super-estilizados.
    No grupo de desenvolvimento que participo o papel dos programadores durante esse tempo é somente dar um pitaco ali e aqui, ajudar com idéias mas tudo sem levar em conta problemas de implementação (e isso é muito, muito importante para os designers).

    Acredite quando digo que isso não é um problema somente do mercado indie, o que você mais facilmente encontrará na indústria propriamente dita hoje são gráficos de enlouquecer com histórias tão profundas quanto um pires.

    *ufa* há muito pra ser discutido sobre isso, quem sabe um post no unidev? hehe…

    Meus parabéns pela visão e pelo blog, Abraço

  13. Pois é, vou tentar movimentar a área de gamedesign na unived… :p mas me ajudem, nao me deixem no vácuo por lá xD

  14. Infelizmente pouquíssimos brasileiros se quer sabem o que é game design. Pra maioria game design é arte pra jogos. Eu ja desisti de frequentar foruns e comunidades de desenvolvimento de jogos por causa disso. Esse deve ser o motivo do por que se fala tão pouco sobre o assunto, não se pode falar do que não se sabe.. 😉

    É uma pena você não ter interesse em trabalhar na indústria. Você parece ter muito talento, e estamos precisando desesperadamente de pessoas talentosas.. 😉

  15. Olá, miwi!

    Eu devia ter “aterrizado” aqui antes! Te conheço pelo Orkut, suas palavras lá revelam alguém que está antenada com o assunto – claro, alien costuma ter umas anteninhas. ;0)

    E você está certa. Não são todos que param para analisar sobre este ângulo. Quem pensa assim tem grandes chances de “chegar lá” mais cedo.

    Trabalho com games há 4 anos e vejo o quanto é complicado transmitir para as pessoas, que vêm de diversas formações (muitas vezes técnicas), como o mercado funciona. Por se tratar de computador e game, coisas que qualquer jovem tem acesso fácil hoje, parece tudo simples. Sem contar aquele desejo inconsciente de brilhar que todos têm quando pensam em seus projetos, exagerando no conceito e se perdendo na produção.

    Isto chama-se falta de experiência. Não tem um culpado, infelizmente a realidade é que o Brasil não é culturalmente desenvolvedor de games. É necessário um período de amadurecimento do mercado. Quero ajudar para que isto aconteça, levando o máximo de gente comigo.

    Adorei teu post, que é de suma importância num blog sobre games. Parabéns!

    Ah, e não ligue… Somos todos alienígenas por aqui. :0)

    []’s


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: