Publicado por: miwi | junho 16, 2008

Discussão: O que Pode se Transformar em um Jogo?

(Final de Semestre = provas + trabalhos = Cindy sem tempo para atualizar o blog. Perdão, folks :3)

Eu estava dando uma lida nos meus feeds (que são intermináveis e que eu nunca vi sem nenhum item novo, mas tudo bem. Um dia eu perco a mania de assinar todo feed interessante que eu vejo pela frente), quando me deparei com uma matéria muito interessante no Lost Garden, sobre quais atividades poderiam ser transformadas em jogo.

Esse pensamento começou ao ver sua esposa, que tem problemas sérios de saúda e tem emagrecido muito, se empolgar com o WiiFit como motivador para tentar recuperar seu peso. O WiiFit conseguiu algo que academias, aulas de yoga, aparelhos de ginástica em casa e outras técnicas para se manter em forma não conseguiram: conseguiu motivar sua esposa para que ela voltasse ao aparelho todos os dias, para conseguir pontos ao melhorar sua forma.

Quem diabos pensaria que atividades como se pesar e fazer yoga poderiam se transformar em jogos? Bom, o Miyamoto pensou mas, como será que esse tipo de pensamento cruzou sua mente?

Até então, a grande maioria dos jogos consistia em atividades que as pessoas realizavam apenas em suas imaginações, como salvar o mundo de um ser maligno. Ou que estavam distantes da realidade da maioria das pessoas, como jogos de esportes radicais. Então, vieram jogos que estavam mais próximas de outras atividades diárias mais comuns; sim, eu estou falando dos famigerados “casual games”.

Vieram jogos de Sudoku. De palavras cruzadas. De “aprender a cozinhar.”

Mas, que tipo de atividade pode ser transformada em jogo? Segundo o autor do artigo, praticamente qualquer atividade, desde que ela respeite alguns requisitos básicos de qualquer jogo:

  1. Poder ser decomposta em habilidades mais simples
  2. Habilidades podem ser aninhadas
  3. Habilidades podem ser colocadas numa curva de aprendizagem suave
  4. As habilidades são mensuráveis
  5. Bons resultados podem ser premiados
  6. Habilidades são localmente úteis

Eu não pretendo falar sobre cada um desses itens – se você tiver interesse, pode encontrar uma explicação detalhada no artigo original. Mas, seguindo esses requisitos e pensando em atividades do nosso dia, que tipo de jogo ou funcionalidade ou parte de um jogo você gostaria de ver?

Algumas coisas do meu dia-a-dia que eu gostaria de ver mais frequentemente em jogos:

truco

1. Jogos que se utilizem de blefe.

Eu adoro jogar truco com meus amigos, como boa universitária. Não gosto dele por causa de suas regras simples, ou por qualquer outra coisa senão pela sua inesgotável capacidade de trazer risadas a um grupo de amigos.

Não ganha o que tem mais sorte, mas aquele que conhece melhor os outros e sabe blefar. Sabe sempre pedir truco tendo cartas fortes para convencer os adversários de que você não blefa, para então pedir truco quando tem um quatro, um cinco e um seis na mão.

É algo que eu gostaria mais de ver em jogos: a habilidade de enganar, de fazer o adversário pensar que você tem uma coisa que você não tem. Embora eu imagine isso aparecendo mais em jogos multiplayer, já que a inteligência artificial envolvida em blefar não é corriqueira…

organização

2. Jogos que Treinem Habilidades de Organização

OK, eu gostaria de um jogo que treinasse habilidades para organizar coisas simplesmente porque… eu sou muito desorganizada. Absurdamente desorganizada. Eu vivo perdendo coisas, fico horas atrás de outras coisas… um horror. E não apenas em termos materiais: se eu tenho muitas coisas para fazer, eu acabo me perdendo no que eu tenho de fazer primeiro.

Não que não existam jogos que precisem de suas habilidades de organização – o mais relevante que me vem à mente é Sim City: é preciso organizar onde você irá colocar cada construção, que destino você irá dar ao dinheiro público, para onde você irá se expandir, etc…

Mas será esta a única maneira de exercitarmos nossa habilidade de organização em um jogo? Através de jogos de estratégia que irão puní-lo se você não conseguir pensar rápido no que fazer?

Que tal um jogo no qual fosse seu objetivo conquistar uma garota e, dependendo de como fosse a garota que você desejasse, você teria de fazer coisas diferentes para conquistá-la. Por exemplo, arrumar seu quarto de diferentes maneiras – com tudo no lugar, você impressionaria aquela garota CDF, com seus CDs e pôsteres de banda à mostra, você conquistaria aquela garota “metaleira”. Mas, seus objetos sempre seriam os mesmos, seria uma opção sua deixar o quê à mostra e o que escondido.

3. Um Jogo Ditado pela Reversal Russa

Ou seja, um jogo onde o jogo jogasse VOCÊ.

Er, desculpa, estava lendo a Desciclopédia e acabei me empolgando…

Mas, eu sinto falta de mais jogos onde você não seja o herói, mas o cara malvado. Não, não estou falando de algo à lá GTA, mas algo onde você seja constantemente lembrado de que está fazendo algo errado. Um jogo onde você seja o vilão e exista o herói do outro lado, e que você se sinta confuso sobre o que fazer a ponto de querer parar de jogar para não ver o vilão vencer o jogo.

GTA, com seu personagem principal que contrata prostitutas e participa de guerras de gangues, tinha potencial para algo assim, mas com certeza não seria algo que venderia tanto, né? ;p Então acabaram tratando o atropelamento de pedestres e assassinato de prostitutas como “esporte”, e que se danem as teorias.

Não seria muito mais interessante se os seus ATOS em GTA influenciassem o rumo do seu personagem? Se você atropelasse muitas pessoas, matasse, provocasse brigas, você realmente acabaria sendo um cara mau e perverso ao ponto de fazer coisas abomináveis para cumprir seus objetivos, se você mantivesse seus níveis de matança baixos você se tornaria um cara mau, mas não execrável?

E vocês? Que detalhe das suas vidas cotidianas vocês gostariam de ver em um jogo? Algo que vocês gostariam de exercitar em um jogo? Algo que vocês gostam em outras partes de sua vida mas não vêem em um jogo?

Transformo isso num meme ;D

Pessoas que eu gostaria que respondessem a essa pergunta:

1. Glacial, do Teoria dos Jogos Glaciais

2. Dori, do Vida de Gamer,

3. Rodrigo Flausino, do… bom, do blog Rodrigo Flausino.

E quem mais quiser, claro. xD

Tenho prova de direção amanhã cedo, desejem-me sorte =*

Anúncios

Responses

  1. Olá, acho legal também em um jogo que você poderia ser um personagem de circo onde deveria se exercitar para melhorar seus pontos com a platéia e entre outros (acho que vou patentear! XD).

    Ou algo em que poderia se tornar chefe em uma tribo de índios, nisso você teria de ser um guerreiro, treino de arco e flexa… e ir conquistando a mata e conviver com outros bichos.

    Tirando que do nada saí um monte de idéias e acabaria numa lista aqui! XD

    Mas esse seria alguns que eu poderia citar.

    Até mais.

  2. Jogos de circo me lembram Circus Charlie… *_* Eu amava esse jogo xD

  3. “É algo que eu gostaria mais de ver em jogos: a habilidade de enganar, de fazer o adversário pensar que você tem uma coisa que você não tem. Embora eu imagine isso aparecendo mais em jogos multiplayer, já que a inteligência artificial envolvida em blefar não é corriqueira…”

    Estou de acordo, tanto em que seria dispor disso em um jogo, como seria complicado de implementar. De qualquer maneira, não sei se funcionaria em jogos multiplayer. Por exemplo,as vezes eu jogo poker pela internet, mais como você não pode olhar nos olhos do teu adversário é impossível saber se ele esta blefando. Alguns mods do Wolfenstein ET (é um FPS), permitiam você fingir que estava morto. Isso pode ser considerado como blefe?

    “Que tal um jogo no qual fosse seu objetivo conquistar uma garota”

    Existem varios jogos em flash japoneses com esse objetivo(Ganguro Girl, Love Hina, …). Algumas pessoas chamam esse gênero de jogo de Sim Date.

    “Não seria muito mais interessante se os seus ATOS em GTA influenciassem o rumo do seu personagem? Se você atropelasse muitas pessoas, matasse, provocasse brigas, você realmente acabaria sendo um cara mau e perverso ao ponto de fazer coisas abomináveis para cumprir seus objetivos”

    True Crime oferece algo bastante similar a isso que você comenta, apesar de que eu não gostei muito desse jogo. Nesse jogo você toma o papel de um policial, para prender bandidos você pode matar eles com um tiro na cabeça ou no coração(modo malvado), ou tentar disparar na mão para desarmar e depois algemar ele. Você pode chegar em algum lugar onde existe um conflito entre duas gangs e pode começar a matar eles para acabar com o conflito, ou dar alguns tiros no ar para assustar eles. Dependendo dos teus atos, você joga diferentes capítulos.
    Tem um jogo chamado ManHunt 1 e 2, bastante polêmico, que tal vez consiga essa sensação de mal estar que você comenta, que faça você não querer jogar mais, porque o protagonista é cruel.

    Sorte com os exames.

  4. “Existem varios jogos em flash japoneses com esse objetivo(Ganguro Girl, Love Hina, …). Algumas pessoas chamam esse gênero de jogo de Sim Date.”

    Eu conheço esse gênero, mas ele costuma ser bastante limitado… geralmente você só vai escolhendo falas e coisas assim… é mais um show de imagens e textos do que qualquer outra coisa. Os que eu conheço, ao menos.

  5. Depois de meia hora com o draft do post aberto, não consegui pensar em outra idéia que não seja a do Blefe (sempre pensei em jogos que tivessem essa opção) …

    Assim que der uma luz e eu lembrar de alguma coisa eu posto na hora 🙂

  6. […] Viu Wimi? Vai que um dia dá uma luz dessa e eu respondo o teu meme? […]

  7. Creio que tudo pode virar um jogo. Já fizeram até de bola-de-gude! =D

    Imagino que cedo ou tarde conseguirão fazer um de pião, usando o wiimote. \o/

  8. Não é muito, mas jogos com blefe tem o nosso grnde amigo Spy do tf2 … ou a lendaria parte do ff7 q vc veste o cloud de menina pra salvar a tifa (ou é a aeris ?) =P

    E o de vilão … me lembra agora o jogo dos cavaleiros do zodiaco pra play2 … tem um modo (o mais legal) onde vc controle os cavaleiros de ouro e tem q matar os de bronze antes q eles cheguem na 12 casa =3

    Sem contar coisas bizarras q ninguem jogou (tipo Shadow the hedgehog) e jogos antigos tipo aquele q vc criava um dungeun (dungeun keeper ?) …. tinha um q vc era um vilão de james bond tb … evil genious ou algo assim…ou micro modos tipo jogar com o venom no homem aranha ultimate

  9. Meu, a idéia de jogar o vilão foi muito boa. Mas de jogar o vilão mesmo, não esse esquema de “meio vilão”. Talvez God Of War seja nesse estilo. O que ele faz no jogo é por ele, e não pra salvar a pele de ninguém. Tanto que acaba matando e sacrificando qualquer um que apareça na frente. E GoW é um jogaço!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: